• Envie para um amigo

    Favor Preencher
    Favor Preencher
    Insira um Email Válido
Artigo

Ensinos Principais de John Piper: A Centralidade de Deus

John Piper 17 de Julho de 2018 - Teologia

Disse Moisés a Deus: Eis que, quando eu vier aos filhos de Israel e lhes disser: O Deus de vossos pais me enviou a vós outros; e eles me perguntarem: Qual é o seu nome? Que lhes direi? Disse Deus a Moisés: EU SOU O QUE SOU. Disse mais: Assim dirás aos filhos de Israel: EU SOU me enviou a vós outros. Disse Deus ainda mais a Moisés: Assim dirás aos filhos de Israel: O SENHOR, o Deus de vossos pais, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó, me enviou a vós outros; este é o meu nome eternamente, e assim serei lembrado de geração em geração (Êx 3.13-15).

Meu objetivo final nos dez capítulos deste livro é espalhar uma paixão pela supremacia de Deus em todas as coisas para a alegria de todos os povos por meio de Jesus Cristo. Em outras palavras, eu pretendo falar de Deus o Pai e de Deus o Filho, através de Deus o Espírito, de modo que você — e milhares de pessoas através de você — seja estimulado a se unir a mim em adoração alegre ao nosso Deus triuno.

Sob esse objetivo geral, minha intenção é despertar e fortalecer em você uma forte convicção de que os últimos trinta anos de ministério na Igreja Batista Bethlehem foram uma preparação, não uma consumação. Ou, em outras palavras, espero ajudá-lo a ver e sentir que minha transição como pastor e pregador em Bethlehem é menos sobre o pouso e mais sobre a decolagem. É menos sobre as grandes coisas que Deus fez, e mais sobre as coisas maiores que Deus fará.

Portanto, pareceu-me bem, com o encorajamento da equipe pastoral de Bethlehem, voltar a nossa atenção para uma série sobre realidades fundamentais — verdades determinantes, ênfases de trinta anos e marcos bíblicos que moldaram profundamente o que é a Igreja Batista Bethlehem nessas últimas três décadas.

1.1 Criando realidades futuras

O resumo das verdades fundamentais neste livro é como uma decolagem em vez de um pouso. Elas nos levam a buscar preparação, em vez de ponderar sobre a consumação, a tomar posse das coisas maiores que estão por vir, em vez de atentar para as grandes coisas do passado. A razão é que essas realidades fundamentais, expostas em cada capítulo, são extremamente indomáveis, explosivamente incontíveis ??e poderosas para criar o futuro. Elas não apenas sustentam o presente e explicam o passado. Elas são vivas e ativas e sobrenaturalmente cheias de poder para tomar esta igreja no que ela ainda não sonhou, de maneiras que ainda não sonhamos.

E, antes de iniciar a decolagem com estas verdades explosivas, devo esclarecer que tenho pouca dúvida em minha mente — e a pequena dúvida em minha mente não se refere a Deus, mas à falta de Deus — que a próxima etapa da vida de Bethlehem será a mais grandiosa que já conhecemos. Todos nós sabemos que muitos ministérios têm florescido por décadas e se tornado significativos, e então, com uma mudança de liderança, as coisas desmoronam e o impacto diminui, a esperança se esvai e a alegria é perdida, e o ministério diminui e talvez até morre. Minha profunda convicção é que Deus não deixará isso acontecer em Bethlehem. Na verdade, se tivesse que fazer isso, apostaria minha vida nessa previsão.

E assim nos voltamos para essa série de realidades fundamentais — essas verdades determinantes, essas ênfases de 30 anos, esses marcos bíblicos — que moldaram o que Bethlehem é nessas últimas três décadas, essas realidades são extremamente indomáveis, explosivamente incontíveis ??e poderosas para criar o futuro.

1.2 Deus absolutamente é

A primeira ênfase teológica é que Deus é. Ou, para dizê-lo como o texto diz: Deus é o que é. Ou, para dizê-lo de maneira mais filosófica: Deus absolutamente é. Esse é o fato mais básico e mais definitivo. Considerando os bilhões de fatos que existem, esse fato está na base e no topo. Ele é o fundamento de todos os outros e a consumação de todos os demais fatos. Nada é mais básico e nada é mais definitivo do que o fato de que Deus é.

Nada é mais fundamental do que: Deus é. Nada é mais fundamental para a sua vida ou para o seu casamento, seu trabalho, sua saúde, sua mente ou seu futuro do que o fato que Deus é. Nada é mais fundamental para o mundo, ou para o sistema solar, ou para a Via Láctea ou para o universo do que o fato que Deus é. E nada é mais fundamental para a Bíblia e a autorrevelação de Deus e a glória do evangelho de Jesus do que o fato que Deus é.

1.3 Compreendendo Êxodo 3

A realidade que Deus absolutamente é permanece como o aspecto central de Êxodo 3.13-15. Permita-me contar a você o contexto. Por vários séculos o povo de Israel — o povo escolhido de Deus — viveu como estrangeiros no Egito. E por muito tempo foram tratados como escravos. Agora o tempo da libertação de Deus está se aproximando. Nasce um bebê judeu chamado Moisés. Ele é providencialmente resgatado do decreto de morte pela filha do faraó e criado na corte. Quando adulto, ele defende um hebreu, acaba por matar um egípcio e foge para a terra de Midiã. E ali Deus aparece para ele em uma sarça ardente, como lemos em Êxodo 3.6-10:

Disse mais: Eu sou o Deus de teu pai, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó. Moisés escondeu o rosto, porque temeu olhar para Deus. Disse ainda o SENHOR: Certamente, vi a aflição do meu povo, que está no Egito, e ouvi o seu clamor por causa dos seus exatores. Conheço-lhe o sofrimento; por isso, desci a fim de livrá-lo da mão dos egípcios e para fazê-lo subir daquela terra a uma terra boa e ampla, terra que mana leite e mel; o lugar do cananeu, do heteu, do amorreu, do ferezeu, do heveu e do jebuseu. Pois o clamor dos filhos de Israel chegou até mim, e também vejo a opressão com que os egípcios os estão oprimindo. Vem, agora, e eu te enviarei a Faraó, para que tires o meu povo, os filhos de Israel, do Egito.

Então, Moisés é o líder escolhido por Deus para tirar o seu povo da escravidão e conduzi-los à terra prometida. Porém, Moisés recua. Como ele fez — ou José ou você poderiam fazer. Versículo 11: “Então, disse Moisés a Deus: Quem sou eu para ir a Faraó e tirar do Egito os filhos de Israel?”. E Deus disse (v. 12): “Deus lhe respondeu: Eu serei contigo; e este será o sinal de que eu te enviei: depois de haveres tirado o povo do Egito, servireis a Deus neste monte”.

E então Moisés nos leva a uma das coisas mais importantes que Deus já disse. Este é o nosso texto, Êxodo 3.13-15:

Disse Moisés a Deus: Eis que, quando eu vier aos filhos de Israel e lhes disser: O Deus de vossos pais me enviou a vós outros; e eles me perguntarem: Qual é o seu nome? Que lhes direi? Disse Deus a Moisés: EU SOU O QUE SOU. Disse mais: Assim dirás aos filhos de Israel: EU SOU me enviou a vós outros. Disse Deus ainda mais a Moisés: Assim dirás aos filhos de Israel: O SENHOR [Em hebraico: Yahwéh], o Deus de vossos pais, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó, me enviou a vós outros; este é o meu nome eternamente, e assim serei lembrado de geração em geração.

1.4 Três coisas que Deus diz sobre si mesmo

Você pergunta meu nome, Deus diz, eu lhe direi três coisas. Primeiro (versículo 14) “Deus disse a Moisés: EU SOU O QUE SOU”. Ele não disse que esse era o seu nome. Ele disse, com efeito: Antes que você se preocupe com meu nome, onde eu me alinhei entre os muitos deuses do Egito, Babilônia ou Filístia, e antes de pensar em conjurar-me com meu nome, e mesmo antes de você se perguntar se eu sou o Deus de Abraão, fique atordoado com isto: “EU SOU O QUE SOU”. Eu absolutamente sou. Antes de você conhecer meu nome, conheça meu ser. Que eu sou o que sou — que eu absolutamente sou — é primeiro, fundamental e de infinita importância.

Em segundo lugar (versículo 14b), “Disse mais: Assim dirás aos filhos de Israel: EU SOU me enviou a vós outros”. Aqui ele ainda não deu a Moisés seu nome. Ele está construindo uma ponte entre seu ser e seu nome. Aqui Deus simplesmente coloca a declaração de seu ser no lugar de seu nome. Ele disse, Diga: “EU SOU me enviou a vós outros”. Aquele que é — que absolutamente é — me enviou a vocês.

Em terceiro lugar (versículo 15), “Disse Deus ainda mais a Moisés: Assim dirás aos filhos de Israel: O SENHOR [hebraico: “Yahwéh”], o Deus de vossos pais, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó, me enviou a vós outros”. Este é o meu nome eternamente [Yahwéh]. Finalmente ele nos dá seu nome. Quase sempre é traduzido como SENHOR (todas as letras em maiúsculo) na Bíblia em português. Mas o hebraico seria pronunciado como “Yahwéh” e é construído sobre a palavra, “Eu Sou”. Assim, toda vez que ouvimos a palavra Yahwéh (ou a forma curta Yah, que você ouve toda vez que você canta “alelu-yah”, “louvado seja o Senhor”), ou toda vez que você vê o Senhor na Bíblia, você deve pensar: este é um nome próprio (como Pedro, Tiago ou João) construído a partir da palavra “Eu Sou”, isso nos lembra a cada vez que Deus absolutamente é.

1.5 A verdade torna um povo irresistível

Deus absolutamente é. Isso é maravilhoso. Deus deu um nome a si mesmo (usado mais de 4.000 vezes no Antigo Testamento) que ao ouvi-lo urge conosco a pensar que Ele é. Ele absolutamente é. Ele é absoluto.

Este é o primeiro da série de realidades fundamentais — verdades determinantes, ênfases de trinta anos e marcos bíblicos — que marcaram a Igreja Batista Bethlehem por três décadas. Nós somos conduzidos pelo simples fato de que Deus é. Que “ele é quem ele é”. Isso ele é absolutamente. Esta é a primeira das realidades — extremamente indomáveis, explosivamente incontíveis e poderosas para criar o futuro — que nós abraçamos.

Um povo que está impressionado com o que Deus é, será um povo ao qual nada pode resistir. Nosso Deus triuno gosta de aparecer em poder gracioso, onde as pessoas são movidas pelo fato que ele é.

1.6 Dez coisas que significa para Deus ser quem ele é

O que significa para Deus ser quem ele é? Aqui estão dez pontos:

1. O ser absoluto de Deus significa que ele nunca teve um começo. Isso abala a mente. Toda criança pergunta: “Quem fez Deus?”. E todo pai sábio diz: “Ninguém fez Deus. Deus simplesmente é. E sempre foi. Sem começo”.

2. O ser absoluto de Deus significa que Deus nunca terminará. Se ele não surgiu, ele não pode deixar de ser porque está sendo. Ele é o que é. Não há lugar para ir além de ser. Só existe ele. Antes de criar, é tudo o que é: Deus.

3. O ser absoluto de Deus significa que Deus é uma realidade absoluta. Não há realidade antes dele. Não há realidade fora dele, a menos que ele queira e o faça. Ele não é uma das muitas realidades antes de criar. Ele está simplesmente lá como realidade absoluta. Ele é tudo que foi eternamente. Sem espaço, sem universo, sem vazio. Só Deus. Absolutamente lá. Absolutamente tudo.

4. O ser absoluto de Deus significa que Deus é totalmente independente. Ele não depende de nada para trazê-lo à existência ou apoiá-lo ou aconselhá-lo ou torná-lo o que ele é. É isso que as palavras “ser absoluto” significam.

5. O ser absoluto de Deus significa que tudo que não é Deus depende totalmente de Deus. Tudo o que não é Deus é secundário e dependente. O universo inteiro é totalmente secundário. Não primário. Ele surgiu por Deus e permanece a cada momento dependente da decisão de Deus de mantê-lo em existência.

6. O ser absoluto de Deus significa que todo o universo comparado a Deus é como nada. A realidade contingente e dependente é para a realidade absoluta e independente como uma sombra para a substância. Como um eco para um trovão. Como uma bolha para o oceano. Tudo o que vemos, tudo pelo que estamos maravilhados no mundo e nas galáxias, é, comparado a Deus, como nada. “Todas as nações são perante ele como coisa que não é nada; ele as considera menos do que nada, como um vácuo” (Isaías 40.17).

7. O ser absoluto de Deus significa que Deus é constante. Ele é o mesmo ontem, hoje e sempre. Ele não pode ser melhorado. Ele não está se tornando nada. Ele é quem é. Não há desenvolvimento em Deus. Sem progresso. A perfeição absoluta não pode ser melhorada.

8. O ser absoluto de Deus significa que ele é o padrão absoluto de verdade, bondade e beleza. Não há livro de leis para o qual ele se volta para saber o que é certo. Nem almanaque para estabelecer fatos. Nem guilda para determinar o que é excelente ou belo. Ele mesmo é o padrão do que é certo, do que é verdadeiro, o do que é belo.

9. O ser absoluto de Deus significa que Deus faz o que lhe agrada e é sempre correto e sempre belo e sempre de acordo com a verdade. Não há restrições sobre ele que venham de fora dele e que possam impedi-lo de fazer qualquer coisa que lhe agrade. Toda realidade que está fora dele, ele criou, projetou e governa como a realidade absoluta. Então ele está totalmente livre de quaisquer restrições que não se originam do conselho de sua própria vontade.

10. O ser absoluto de Deus significa que ele é a realidade mais importante e mais valiosa e a pessoa mais importante e mais valiosa do universo. Ele é mais digno de interesse, atenção, admiração e desfrute do que todas as outras realidades, incluindo o universo inteiro.

1.7 A indignação cósmica

Deus absolutamente é! Nós acreditamos e valorizamos isso. Deus é. Esse é uma realidade extremamente indomável, explosivamente incontível e poderosa para criar o futuro — Deus é.

Portanto, existe uma indignação cósmica potencializada a bilhões de vezes sobre o fato de que Deus é ignorado, tratado como insignificante, questionado, criticado, tratado virtualmente como se fosse nada e alguém em quem as pessoas pensam menos do que nos tapetes de suas casas.

Sendo Deus a realidade mais significativa, nada é corretamente conhecido à parte de seu relacionamento com ele. Ele é a fonte, objetivo e definidor de todos os seres e de todas as coisas. Nós seremos, portanto, um povo apaixonado por Deus. Conhecê-lo, admirá-lo, torná-lo conhecido como glorioso é a nossa paixão motivadora. Ele é simplesmente dominante em nossa consciência. Tudo deve estar relacionado com ele, se nós existirmos para espalhar uma paixão pela supremacia de Deus!

1.8 Nunca faça de Deus algo periférico

Com a ajuda de Deus, não blasfemaremos contra ele. Não blasfemaremos contra o Deus que é absolutamente subestimá-lo, ou torná-lo periférico, ou chama-lo de a razão de todas as coisas enquanto são as “coisas” que realmente nos alegram. Tememos tropeçar na criticismo de Albert Einstein sobre o qual Charles Misner escreveu há vinte anos:

Eu vejo o design do universo como essencialmente uma questão religiosa. Isto é, deve-se ter algum tipo de respeito e admiração por todo o negócio. É muito magnífico e não deve ser subestimado. De fato, creio que é por isso que Einstein teve tão pouca utilidade para a religião organizada, embora ele me pareça um homem basicamente muito religioso. Ele deve ter olhado para o que os pregadores disseram sobre Deus e sentiu que eles estavam blasfemando. Ele tinha visto muito mais majestade do que eles jamais imaginaram, e eles simplesmente não estavam falando sobre a coisa real (Citado em First Things [Primeiras Coisas], dezembro de 1991, nº 18, 63).

 

Quando li isso, eu disse: “Ó Deus, nunca, nunca deixe que isso aconteça em Bethlehem!”. Há milhares de pessoas nesta cidade e bilhões no mundo que estão famintas para conhecer o Deus vivo e verdadeiro que absolutamente é. E temos as boas novas de que esse Deus enviou seu Filho ao mundo para morrer por pecadores depreciadores de Deus como nós, para que todo aquele que crer em Jesus Cristo possa conhecer esse Deus e alegrar-se para sempre. Então nós conhecemos o nosso chamado. Existimos para espalhar uma paixão pelo Deus que absolutamente é.

Este é o lugar onde estivemos. É para onde estamos indo. Indomável, incontível e poderoso para criar a realidade futura. “EU SOU O QUE SOU”. Deus absolutamente é.

 

Tradução: William e Camila Rebeca Teixeira.

Original: Doctrine Matters.

Hits: 1876


O leitor tem permissão para divulgar e distribuir esse texto, desde que não altere seu formato, conteúdo e / ou tradução e que informe os créditos tanto de autoria, como de tradução e copyright. Em caso de dúvidas, faça contato com a Editora Fiel.

Receba nossas Notificações



John Piper
Autor John Piper

John Piper é um dos ministros e autores cristãos mais proeminentes e atuantes dos dias atuais, atingindo com suas publicações e mensagens...



Desiring God
Parceiro Desiring God

Desiring God é um ministério cristão que se focaliza em suprir materiais bíblicos para o povo de Deus em todo o mundo. Nosso alvo é...