• Envie para um amigo

    Favor Preencher
    Favor Preencher
    Insira um Email Válido
Artigo

6 princípios para a produtividade cristã

Tim Challies 18 de Julho de 2018 - Cosmovisão

O texto abaixo foi extraído do livro Faça Mais e Melhor, de Tim Challies, lançamento da Editora Fiel.

Conheça seu propósito

Talvez você esteja lendo este livro porque sente que sua vida está caótica e deseja imprimir alguma espécie de ordem nela. Talvez você esteja lendo este livro porque assumiu responsabilidades demais e está em busca de conselhos sobre o que priorizar. Talvez esteja lendo porque está sempre em busca de uma nova dica ou de um novo truque para aumentar sua eficiência um pouco mais. Todas essas razões são boas e, independentemente de quais se apliquem a você, acredito que encontrará algo que possa ajudar.

Mas, antes que seja possível entrarmos nas questões realmente práticas, você e eu temos um pouco de trabalho a fazer. Mesmo que você se sinta tentado a pular este capítulo, peço que resista à tentação. Investir um pouco de tempo e atenção agora o ajudará a construir o fundamento para o que virá depois. Se você pular para os capítulos 5 ou 6, querendo chegar logo às melhores partes, talvez seja uma prova de que aquilo que você procura são soluções imediatistas, e não transformações duradouras.

Então, continue comigo enquanto trabalhamos juntos ao longo deste capítulo.

O fundamento

Ninguém nunca me considerou habilidoso. Consigo lidar com as coisas muito básicas — pendurar fotos na parede ou colocar algumas camadas de tinta na parede —, mas sou completamente dependente do meu sogro ou de pessoas que contrato para fazer qualquer coisa além disso. Quando ouço meus amigos falando sobre colocar fita nas paredes de reboco, sobre mexer nos canos e nos fios ou sobre instalar a porta de entrada, saio de fininho da conversa. Eu tenho consciência das minhas limitações. Nunca examinei o interior das paredes da minha casa, mas sei que, se examinasse, encontraria vigas, colunas e pilares. E, se eu fosse até o porão e removesse a placa de reboco, encontraria alicerces. Esses são os elementos que sustentam e mantêm minha casa de pé. A casa não pode ser mais forte do que esses elementos. O assunto deste capítulo são os fundamentos da produtividade. A produtividade — a verdadeira produtividade — nunca será melhor ou mais firme do que o fundamento sobre o qual é construída. Então, precisamos ter certeza de que estamos construindo sobre um alicerce firme.

Um catecismo da produtividade

Para você compreender a produtividade, é necessário começar a entender a razão de sua existência. Produtividade não é o que dará um propósito à sua vida, mas é o que permitirá que você se sobressaia ao viver seu propósito atual.

Vou guiá-lo na análise de um breve “Catecismo da Produtividade”, uma série de perguntas e respostas. E somente quando você entender essas questões fundamentais sobre o propósito e a missão que recebeu de Deus é que estará pronto para começar a trabalhar. Aqui está a primeira pergunta:

 

P. 1: Qual foi o propósito último de Deus ao criar você?

R.: Deus me criou para a glória dele.

Essa é a pergunta que todo ser humano se faz em algum momento da vida, não é? Por que estou aqui? Por que estou aqui em vez de não estar? Por que Deus me criou? A Bíblia tem uma resposta: “Porque dele, e por meio dele, e para ele são todas as coisas. A ele, pois, a glória eternamente. Amém!” (Rm 11.36). Todas as coisas existem para a glória de Deus, e isso inclui cada um de nós. Isso inclui você.

Deus o criou para ser glorificado por você e através de você. Essa é uma verdade surpreendente e que gera profunda humildade. Ao compreendê-la e aplicá-la, tudo relacionado à sua vida é transformado. O fato simples é que você não é o centro da própria vida. Você não é a estrela de seu programa. Se você vive para si mesmo, para seu próprio conforto, para sua própria glória e sua própria fama, está ignorando seu verdadeiro propósito. Deus criou você para a glória dele.

 

P. 2: De que maneira você pode glorificar a Deus em sua vida cotidiana?

R.: Posso glorificar a Deus em minha vida cotidiana praticando boas obras.

Você pode sentir-se confortável com essa ideia de que Deus criou você para a glória dele, mas uma questão ainda permanece: o que, de fato, significa glorificar a Deus? Se você quer glorificar a Deus, precisa desistir do seu emprego e se tornar pastor? Se você quer glorificar a Deus, precisa empacotar tudo que tem e se mudar para o outro lado

do mundo, a fim de servir como missionário nas regiões mais remotas e perigosas do mundo? Você só glorifica a Deus verdadeiramente quando fica de pé na igreja e canta os grandes hinos da fé cristã? Deus somente é honrado por seu intermédio quando você lê sua Bíblia e ora? Ou existe uma maneira de glorificar a Deus durante o dia inteiro, diariamente, na vida cotidiana?

Jesus respondeu a essa pergunta quando disse: “Assim brilhe também a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai que está nos céus” (Mt 5.16). Suas boas obras são como uma luz e, quando essa luz brilha, mostra Deus. Quando as pessoas veem essa luz, não é para que olhem para você e digam: “Ele é incrível!” ou “Ela é impressionante!”. É para que olhem para Deus e digam: “Ele é impressionante!”.

Você não glorifica a Deus somente quando fala sobre ele, quando compartilha o evangelho com outras pessoas ou quando levanta as mãos no culto público. Essas ações são todas boas, mas não são os únicos meios de glorificar a Deus. E estão longe de ser. Você glorifica a Deus quando pratica boas obras. O apóstolo Pedro escreveu: “mantendo exemplar o vosso procedimento no meio dos gentios, para que, naquilo que falam contra vós outros como de malfeitores, observando-vos em vossas boas obras, glorifiquem a Deus no dia da visitação” (1Pe 2.12). Suas boas obras apresentam a grandeza de Deus ao mundo que observa.

 

P. 3: O que são boas obras?

R.: Boas obras são as coisas que fazemos para a glória de Deus e pelo bem de nosso próximo.

Você sabe que as boas obras são importantes e que glorificam a Deus. Mas o que são essas boas obras? É alimentar o pobre e adotar órfãos? É dar dinheiro para a igreja, voluntariar-se no banco de alimentos ou visitar os idosos no asilo? Quais são as boas obras que somos chamados a realizar? A Bíblia assegura que as boas obras são todas as coisas que fazemos pelo bem das pessoas e para a glória de Deus.

Você já é muito bom em fazer coisas que beneficiam a si mesmo. Todos nós somos. Desde a infância, você é hábil nos esforços para sobreviver e aumentar o próprio conforto. Mas, quando Deus salvou você, deu-lhe um coração que deseja fazer o bem às pessoas. De repente, você deseja fazer o bem às pessoas, mesmo que isso custe muito caro. Afinal, foi exatamente o que Cristo fez na cruz. Foi o que Cristo fez e você é chamado a imitá-lo.

Boas obras, então, são todas e quaisquer ações que você faz em benefício das pessoas. Se você é mãe e simplesmente abraça e consola seu filho que está chorando, está praticando uma boa obra que glorifica a Deus porque é algo que você faz para beneficiar seu filho. Se você é estudante e se dedica aos estudos, está praticando uma boa obra que glorifica a Deus, pois o que está aprendendo será usado algum dia para beneficiar outras pessoas. Se você trabalha em um ambiente de escritório e tem consideração por seus clientes e colegas de trabalho em sua forma de trabalhar, está praticando boas obras que glorificam a Deus, pois está vivendo fora de si mesmo, fazendo aquilo que beneficia as pessoas em sua vida.

Não há tarefa na vida que não possa ser realizada para a glória de Deus. Mais uma vez, é o que Jesus nos chama a fazer nas palavras simples do Sermão do Monte: “Assim brilhe também a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai que está nos céus” (Mt 5.16).

 

P. 4: Mas você é um pecador. Então, realmente consegue praticar boas obras?

R.: Sim. Os cristãos são capacitados a praticar boas obras por causa da obra acabada de Jesus.

Como cristão, você tem consciência de seu pecado. Você sabe que suas motivações nunca são perfeitamente puras, que seus desejos nunca são perfeitamente saudáveis, que suas ações nunca são perfeitamente justas. Às vezes, você não sabe quais são suas motivações e, outras vezes, nem quer saber. Se tudo isso é verdade, como suas obras podem ser boas?

Sim, você pode realizar boas obras. Aliás, foi por isso que Deus o salvou: “Pois somos feitura dele, criados em Cristo Jesus para boas obras, as quais Deus de antemão preparou para que andássemos nelas” (Ef 2.10). É simples: Deus salvou você para que pudesse praticar boas obras, glorificando-o através delas. Paulo deixa isso ainda mais claro em sua carta a Tito: “[Cristo] a si mesmo se deu por nós, a fim de remir-nos de toda iniquidade e purificar, para si mesmo, um povo exclusivamente seu, zeloso de boas obras” (Tt 2.14). Cristo entregou a própria vida por você para que tivesse zelo genuíno pelas boas obras. Paulo exorta os cristãos a serem zeladores das boas obras ou extremistas pelas boas obras — a serem absolutamente comprometidos em todos os sentidos com a prática do bem ao próximo.

Anime-se! Você pode verdadeiramente praticar obras que agradam a Deus. Deus verdadeiramente se agrada quando você pratica essas obras, mesmo quando não são praticadas tão perfeitamente ou de maneira tão abnegada quanto você gostaria, ou até mesmo quando você não tem certeza de suas motivações. Embora até mesmo suas melhores obras estejam longe da perfeição, Deus se agrada delas e as aceita com alegria.

 

P. 5: Em que áreas da vida você deve enfatizar as boas obras?

R.: Devo enfatizar as boas obras em todos os momentos e em todas as áreas da vida.

Se você pode glorificar a Deus em todas as áreas, deve glorificar a Deus em todas as áreas. Não há nenhuma área de sua vida em que você não tenha a capacidade de fazer o bem pelas pessoas ou de glorificar a Deus. Paulo disse: “Portanto, quer comais, quer bebais ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para a glória de Deus” (1Co 10.31). Ele escreveu para Tito: “Fiel é esta palavra, e quero que, no tocante a estas coisas, faças afirmação, confiadamente, para que os que têm crido em Deus sejam solícitos na prática de boas obras. Estas coisas são excelentes e proveitosas aos homens” (Tt 3.8). Para Timóteo, ele escreveu especificamente sobre as mulheres: “Da mesma sorte, que as mulheres, em traje decente, se ataviem com modéstia e bom senso, não com cabeleira frisada e com ouro, ou pérolas, ou vestuário dispendioso, porém com boas obras (como é próprio às mulheres que professam ser piedosas)” (1Tm 2.9-10) e, para a igreja da Galácia, ele explicou: “Por isso, enquanto tivermos oportunidade, façamos o bem a todos, mas principalmente aos da família da fé” (Gl 6.10). Pedro chega a dizer que você recebeu de Deus o dom sobrenatural de praticar ainda mais boas obras pelas pessoas.

Servi uns aos outros, cada um conforme o dom que recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus. Se alguém fala, fale de acordo com os oráculos de Deus; se alguém serve, faça-o na força que Deus supre, para que, em todas as coisas, seja Deus glorificado, por meio de Jesus Cristo, a quem pertence a glória e o domínio pelos séculos dos séculos. Amém! (1Pe 4.10-11)

A Bíblia deixa bem claro: em todos os momentos e em todos os lugares, você é capaz de praticar o bem às pessoas, então você deve fazê-lo.

 

P. 6: O que é a produtividade?

R.: Produtividade é administrar seus dons, talentos, tempo, energia e entusiasmo com eficácia pelo bem das pessoas e para a glória de Deus.

Agora chegamos ao ponto: o que é produtividade? Produtividade é administrar seus dons, talentos, tempo, energia e entusiasmo com eficácia pelo bem das pessoas e para a glória de Deus. A produtividade chama você a dedicar a vida inteira a esse grande objetivo de glorificar a Deus fazendo o bem às pessoas. Esse chamado envolve usar seus dons, os dons espirituais que você recebeu quando o Senhor o salvou; envolve o desenvolvimento de seus talentos, as áreas em que você é naturalmente mais forte; envolve a utilização de seus talentos nas áreas em que você é naturalmente mais forte; envolve a administração de seu tempo, aquele período de 24 horas que Deus lhe dá a cada dia; envolve o uso de sua energia, força ou vitalidade que vai e vem ao longo do dia e da semana; e envolve até mesmo o entusiasmo, a paixão e o interesse que podem fazer parte das obras que você ama praticar. Deus chama você para pegar todas essas coisas e aplicá-las com cuidado, fidelidade e consistência no objetivo maior de fazer o bem às pessoas.

Seu propósito

Espero que esta máxima estabeleça seu propósito: glorificar a Deus ao praticar o bem às pessoas. Não há plano melhor, nem ideal mais sublime. Então, em última análise, esta é a essência da produtividade e, portanto, a essência deste livro: fazer o bem às pessoas.

Você é mãe e dona de casa? Isso é o que determina em que medida é produtiva. Você é um diretor executivo? Isso também é o que determina em que medida é produtivo. Você é professor, fabricante de ferramentas, médico ou motorista? O mesmo se aplica a você. Mesmo quando estamos falando de ferramentas, programas de computador ou sistemas, você precisa lembrar-se do nobre e sublime propósito por trás de tudo: glorificar a Deus, fazendo o bem às pessoas.

Hits: 3963


O leitor tem permissão para divulgar e distribuir esse texto, desde que não altere seu formato, conteúdo e / ou tradução e que informe os créditos tanto de autoria, como de tradução e copyright. Em caso de dúvidas, faça contato com a Editora Fiel.

Receba nossas Notificações



Tim Challies
Autor Tim Challies

Tim Challies é o fundador do blog Challies.com, pastor da Grace Fellowship Church em Toronto, Canadá, e autor de Faça Mais e Melhor,...



Produtos Relacionados