• Envie para um amigo

    Favor Preencher
    Favor Preencher
    Insira um Email Válido
Artigo

Como Implantar Membresia a uma Igreja em Plantação?

Mike McKinley 13 de Abril de 2015 - Igreja e Ministério

É difícil saber quando e como uma igreja em plantação deve estabelecer uma membresia formal.

Na sua origem, a maioria das igrejas em plantação não é capaz de atuar como congregações em pleno funcionamento. Na ausência de uma membresia formal, a igreja não pode praticar a disciplina eclesiástica ou administrar a Ceia do Senhor ou o batismo de um modo bíblico. Assim, os plantadores de igreja devem sentir um encargo de estabelecer uma membresia tão cedo quanto possível.

Mas como deve ser essa mudança de um ponto de pregação para uma congregação com membresia?

Os benefícios da membresia em uma igreja em plantação

Alguns estrategistas de plantação de igrejas ensinam que a membresia é um aspecto lateral no objetivo da plantação de igrejas. Afinal de contas, os plantadores devem estar chamando as pessoas a participarem da vida e da missão da igreja. Essa participação, eles sustentam, é melhor manifestada em ações, e não em pactos de membresia formais.

Mas estabelecer uma membresia formal acarreta ao menos três benefícios para uma nova igreja.

1. A membresia convoca os frequentadores a um compromisso mais firme.

Primeiro, estabelecer uma membresia de igreja convoca os frequentadores regulares a um compromisso mais firme.

Quando um plantador começa uma nova obra, um número de pessoas provavelmente começará a frequentar, a fim de conferir o que está acontecendo por ali. Mas pode ser difícil perceber se é possível contar com essas pessoas para participarem da vida da igreja.

Estabelecer uma membresia dá a essas pessoas um momento “pegar ou largar”. Isso remove a ambiguidade quanto ao seu relacionamento com a congregação e as convoca a se comprometerem plenamente com a obra da igreja.

2. A membresia aumenta a responsabilidade mútua

Segundo, estabelecer uma membresia de igreja aumenta a responsabilidade mútua entre a própria congregação e entre a congregação e a liderança.

Membresia requer comprometimento e isso esclarece, em termos bíblicos, o que significa ser parte da igreja. Quando alguém deixa de ser um visitante e se torna um membro, está se comprometendo a amar, cuidar e orar pelas outras pessoas da igreja.

A membresia também permite aos plantadores saberem de quem devem cuidar e a quem supervisionar; e permite aos plantadores cobrar as pessoas por seus compromissos.

3. A membresia permite à igreja cumprir suas responsabilidades bíblicas

Terceiro, estabelecer uma membresia de igreja permite à igreja cumprir todas as suas responsabilidades bíblicas.

Sem membresia de igreja, o batismo e a Ceia do Senhor perdem uma parte importante de seu significado (o batismo como meio de entrada na comunidade da aliança e a Ceia do Senhor como o sinal da contínua participação naquela comunidade). Além disso, mandamentos como Hebreus 13.17 (“obedecei aos vossos guias”) e 1 Coríntios 5.13 (“expulsai, pois, de entre vós o malfeitor”) somente podem ser obedecidos quando o “vós” da igreja está claramente definido.

Quando estabelecer a membresia da igreja

O momento certo para implantar uma membresia de igreja varia a depender de circunstâncias. Se a plantação começa a partir de uma igreja estabelecida e possui grupo nuclear identificável, pode ser sábio reconhecer imediatamente as pessoas daquela equipe inicial como a membresia da nova igreja. Se o plantador está trabalhando numa “plantação de paraquedas” (na qual ele chega sozinho a um lugar e cada membro é um novo convertido), pode ser necessário algum tempo até que ele possa constituir a igreja e formalizar a membresia.

Aqui estão quatro questões às quais o plantador deve estar atento à medida que busca estabelecer uma membresia, listadas em ordem decrescente de importância:

1. A habilidade de discernir a credibilidade da profissão de fé das pessoas.

Para ter uma igreja, você precisa de cristãos. Sendo assim, um plantador em busca de implantar uma membresia de igreja formal precisa estar apto a discernir que há pessoas nas reuniões que são genuinamente convertidas. Isso significa que os membros em potencial devem compreender o que significa ser um cristão, estar aptos a expressar a sua fé e ter tempo suficiente para que sua fé se evidencie em uma vida transformada.

2. Concordância em torno de uma declaração de fé.

Embora nenhuma igreja tenha concordância unânime em toda questão doutrinária, uma congregação deve ter um consenso básico quanto a questões essenciais como o evangelho, as Escrituras, a natureza da igreja e a natureza da vida cristã. É importante não esperar muito antes de estabelecer uma declaração de fé, porque você pode encontrar dificuldades em obter consenso uma vez que a igreja tenha crescido.

No mínimo, você deve tornar as suas convicções doutrinárias amplamente conhecidas desde o princípio da plantação. Por exemplo, se você for um batista e souber que, quando a igreja estiver constituída, será uma igreja batista, é bom deixar isso claro desde o início. Eu sugiro que você pegue o nome supermoderno que você tenha escolhido para a igreja e inclua nele a palavra “batista”, chegando a algo como “Igreja Batista Kairos”. De outro modo, você terminará numa espécie de situação de “propaganda enganosa”, na qual pessoas que se envolveram na vida da congregação não poderão se tornar membros por causa de diferenças doutrinárias.

Eu também recomendo usar uma declaração de fé que tenha passado pelo teste do tempo, em vez de escrever a sua própria do zero. Não deve ser difícil encontrar uma que se encaixe. Se você não consegue encontrar uma que sirva, provavelmente você é um herege ou “apenas uma daquelas pessoas” (se é que me entende). Provavelmente sua esposa pode lhe ajudar a determinar qual dos dois.

3. Concordância em torno de um pacto eclesiástico.

Um pacto eclesiástico é um contrato que define as responsabilidades e privilégios da membresia. Embora não seja absolutamente necessário ter um documento formal que delineie essas coisas, há uma razão pela qual as igrejas têm se beneficiado de detalhar essas responsabilidades por antecipação. Para dizer o mínimo, os novos membros da igreja precisarão saber o que se espera deles.

4. Constituição da igreja e documentos administrativos.

Embora poucas coisas sejam tão chatas quanto estatutos ou constituições, é útil tê-los à mão ao instituir a membresia em sua plantação de igreja. Desse modo, o meio de receber e remover membros fica claramente estabelecido. É também uma boa ideia estabelecer desde o princípio como líderes serão reconhecidos e como decisões serão tomadas pela membresia.

Como um plantador, você deverá decidir de quais dessas quatro coisas precisará antes de estar confortável em estabelecer a membresia da igreja. Uma vez que tenha essas coisas à disposição, você deve seguir em frente.

Conclusão

A membresia pode não parecer muito importante no início de uma plantação de igreja. Mas, em algum momento do processo, a congregação precisará saber quem “eles” são, a fim de poder cumprir os mandamentos bíblicos para a igreja.

Tradução: Vinícius Silva Pimentel
Revisão: Vinícius Musselman Pimentel

Hits: 31844


O leitor tem permissão para divulgar e distribuir esse texto, desde que não altere seu formato, conteúdo e / ou tradução e que informe os créditos tanto de autoria, como de tradução e copyright. Em caso de dúvidas, faça contato com a Editora Fiel.

Receba nossas Notificações



Mike McKinley
Autor Mike McKinley

Mike McKinley (MDiv pelo Westminster Theological Seminary) é o pastor da Guilford Baptist Church, em Sterling, Virginia, e foi membro da equipe pastoral da...



9Marks
Parceiro 9Marks

O Ministério 9Marks tem como objetivo encorajar as igrejas e seus líderes a cultivarem um ministério saudável, através da...