terça-feira, 22 de outubro
Home / Artigos / A quem o pastor deve falar após o culto e por quanto tempo?

A quem o pastor deve falar após o culto e por quanto tempo?

É um dos grandes dilemas de todos os domingos para o pastor. A quem devo falar e por quanto tempo? A maioria dos pastores está em uma porta após o culto para cumprimentar aqueles que estão saindo. Outros ficam na frente convidando as pessoas a virem e falarem com o pastor para fazerem perguntas sobre o sermão.

É um jogo de malabarismo constante no qual a maioria dos pastores sentem que falham na maioria das vezes.

O que aumenta a loucura é a pessoa que persegue agressivamente o pastor depois do culto sentindo-se no direito da sua atenção por um longo tempo. Essa é a pessoa que tem total desrespeito pelos outros que geralmente esperam pacientemente na fila. Em nossa igreja, essa pessoa geralmente é alguém que veio da rua, não conhece nada e quer roupas, comida ou dinheiro.

Esse também poderia ser o membro de sua igreja que não escolhe o melhor momento para discutir seus problemas conjugais com o pastor. No entanto, ainda assim, não queremos perder as oportunidades para ministrar a essas pessoas necessitadas, especialmente se elas são almas sob nossos cuidados. O que você faz? Três sugestões:

Dê-lhes um tempo

Podemos levar esse cuidado longe demais e não nos incomodar com esse tipo de pessoa, e isso está errado. Independentemente de quem eles são, de onde eles vêm, ou qual é a razão deles para querer conversar com “o pastor”, dê a eles um tempo para que você possa descobrir o básico sobre eles e suas necessidades. Isso ajudará você a saber como proceder com eles e possivelmente envolver outro líder.

Treine outros líderes para intervir e ajudar

Depois de pregar e concluir um serviço de ordenação muito importante em nossa igreja, fui rapidamente abordado por uma mulher sem-teto que caminhou até a palco para falar comigo antes que qualquer outra pessoa pudesse chegar até mim. Ela começou a me contar sobre todos os seus problemas, e eles eram muitos. Ela precisava de ajuda séria e se eu ficasse ali por duas horas, ela teria continuado a falar por todo o tempo.

Um dos nossos líderes percebeu o que estava acontecendo e percebeu que não era a melhor maneira de eu gastar meu tempo, pois muitos estavam esperando para falar comigo.

Ele percebeu que alguém poderia ajudar. Então, esse líder veio e tomou a iniciativa de educadamente levá-la a outra pessoa para ajudá-la. Treine seus líderes para que percebam e possam intervir nesses momentos quando as pessoas vêm pedir comida ou roupas. Para mim, passá-los para um diácono que esteja mais bem equipado para ajudá-los naquele momento do que eu, é uma tremenda bênção para todos os envolvidos.

Se uma pessoa está chateada com a decisão que você tomou na reunião de membros no início da semana e está fazendo uma cena enquanto repreende você sobre isso, encontre outro pastor para vir e ajudar a assumir essa situação difícil para você. Então, você será capaz de se mover para a próxima pessoa. Treine seus pastores, diáconos e outros líderes para pensar dessa maneira, estar ciente do que está acontecendo e, com discernimento, poder intervir, se necessário.

Lembre-se das ovelhas mais comumente negligenciadas

É difícil escolher nesses momentos. É por isso que a maioria dos pastores sente que eles fracassam. No entanto, do que podemos ter certeza é que as ovelhas mais negligenciadas são aquelas que não lutam pelo seu tempo e não esperam em grandes filas para conversar com você.

Eles não querem aumentar a fila e a carga para você.

Esteja disposto a pedir a alguém que marque uma consulta com você no escritório naquela semana para falar sobre o assunto que exigirá uma conversa mais longa do que a que você pode ter no domingo de manhã. Isso permite ao pastor a capacidade de priorizar a busca de ovelhas passivas que precisam do seu cuidado.

Aí está. Lembre-se, essas são apenas sugestões para turvar um pouco mais as águas desse equilíbrio confuso. A questão é que os pastores devem ser suficientemente ponderados e conduzir as conversas o suficiente necessário para que não permitamos que nosso tempo seja dominado, aos domingos, por alguém. Seja gentil. Seja sábio. Mas escolha com quem você vai conversar e por quanto tempo. Se você não escolher, confie em mim, alguém vai escolher para você.

 

Tradução: Paulo Reiss Junior.

Revisão: Filipe Castelo Branco.

Fonte: To whom should a pastor speak with on Sunday morning and how long?


Autor: Brian Croft

Brian Croft é o pastor efetivo da Auburndale Baptist Church em Louisville, Kentucky. Ele também é autor de "Visit the Sick: Ministering God’s Grace in Times of Illness”, (Prefácio de Mark Dever) e "Test, Train, Affirm, and Send Into Ministry: Recovering the Local Church’s Responsibility to the External Call", (Prefácio de R. Albert Mohler Jr). Brian escreve regularmente no blog Practical Shepherding.

Parceiro: Practical Shepherding

Practical Shepherding
O ministério Practical Shepherding visa equipar pastores e líderes de igrejas nas questões práticas do ministério.

Ministério: Ministério Fiel

Ministério Fiel
Ministério Fiel: Apoiando a Igreja de Deus.

Veja Também

Por que um pastor deveria ficar muito tempo em uma igreja?

Pastores, permaneçam firmes nas coisas que vocês sabem ser verdadeiras e corretas.