quinta-feira, 18 de julho
Home / Artigos / Boas-novas

Boas-novas

O evangelho é boas-novas em contraste com a situação em que estamos por causa de nosso pecado. O pecado consiste em transgredir a lei de Deus; e somos culpados disso. “Todos pecaram” é a declaração horrível de Romanos 3 — “não há justo, nem um sequer”.

O pecado não é algo que aflige as pessoas em contrário à vontade delas. Pelo contrário, Jesus disse: “Os homens amaram mais as trevas do que a luz; porque as suas obras eram más” (Jo 3.19). O pecado é deliberado e nos coloca sob a ira e o julgamento do Deus santo. Não se engane a respeito disso; Deus não tolera o pecado.

Evidentemente, estas são más novas, e não boas novas. No entanto, embora a realidade de nosso pecado não constitua o âmago do evangelho, é necessário entendermos e crermos que somos pecadores; pois, do contrário, não podemos nos beneficiar das boas-novas de Deus.

O Evangelho

As boas-novas são a mensagem de que “Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (Jo 3.16). O amor de Deus não era uma compaixão vazia, e sim um amor que fez algo a respeito da condição terrível do homem.

Deus enviou seu Filho ao mundo para morrer no lugar do pecador, assumindo a sua culpa e a sua punição. O evangelho é a mensagem que explica o que acontece quando Deus, em sua misericórdia, salva aqueles que se rebelam contra Ele.

A Bíblia o chama de “o evangelho de Deus” (Rm 1.1). O evangelho não descreve o que conseguiremos, se apenas nos esforçarmos arduamente; o evangelho descreve o que Deus fez sozinho por nós. Ele se originou no coração de Deus, relatando o que a graça e o amor divino realizaram em favor de pecadores culpados.

A Epístola aos Romanos prossegue dizendo que o evangelho é a mensagem a respeito do Filho de Deus, “Jesus Cristo, nosso Senhor”. O Evangelho nos conta que Jesus é singular — o único Salvador e o único caminho para Deus.

Deus Conosco

Então, quem é Jesus? O primeiro capítulo do Novo Testamento O apresenta para nós. E Mateus, o evangelista, utilizou dois nomes para descrevê-Lo: Jesus e Emanuel. Esses nomes imediatamente nos revelam a glória dessa Pessoa admirável.

“Jesus” significa “salvador” e nos mostra o que Ele veio fazer no mundo. “Emanuel” significa “Deus conosco” e nos informa que Jesus não era um homem comum.

O apóstolo Paulo amplia essa verdade, utilizando as seguintes palavras: “Nele habita, corporalmente, toda a plenitude da Divindade” (Cl 2.9). Afirmando-o de maneira simples: Jesus é Deus.

A Cruz de Cristo

As boas-novas são o fato de que, ao morrer na cruz, Jesus o fez em lugar de pecadores culpados, a fim de salvá-los da ira de Deus contra o pecado e do julgamento que os pecadores merecem. Somente Jesus era inocente em relação ao pecado e poderia agir como nosso substituto — “Aquele que não conheceu pecado, ele o fez pecado por nós; para que, nele, fôssemos feitos justiça de Deus” (2 Co 5.21). Ele tomou o nosso lugar e recebeu sobre Si o juízo que seu povo merecia, a fim de que eles fossem declarados justos diante de Deus. Resumindo:

1. A cruz foi o supremo ato do amor e da graça de Deus;
2. Na cruz, vemos Deus, em sua santidade, lidando com o pecado dos homens;
3. Na cruz, Deus removeu o pecado que nos separa dEle mesmo, por considerar o Senhor Jesus como responsável pelas nossas transgressões contra a divina lei;
4. Na cruz, a ira de Deus foi lançada sobre seu Filho, ao invés de ser lançada sobre nós;
5. Na cruz, Deus lançou nosso pecado e culpa sobre o Senhor Jesus, enquanto nos atribui a justiça dEle.

O pecado foi punido, como Deus exige que ele o seja. Agora, porém, não existe mais nada que a justiça divina exige do pecador crente, porque Jesus pagou a dívida de nosso pecado. A Bíblia nos diz a respeito de Cristo: “E não há salvação em nenhum outro; porque abaixo do céu não existe nenhum outro nome, dado entre os homens, pelo qual importa que sejamos salvos” (At 4.12).

Como sabemos que isso é verdade? Deus tem dado a certeza dessa mensagem para todos os homens, dizem as Escrituras, ao ressuscitar Jesus dentre os mortos (At 17.31). Isso é o evangelho.

Venha!

Jesus exorta insistentemente os pecadores a virem a Ele, que resolverá o problema do pecado deles e os tornará aceitáveis diante de Deus. “Vir” significa crer em Jesus como o único remédio de Deus para o pecado, o remédio que outorga perdão para pecadores culpados. Significa confiar naquilo que Cristo fez na cruz e olhar somente para Ele, no que diz respeito ao perdão e à salvação.


Autor: Peter Jeffery

Ministério: Ministério Fiel

Ministério Fiel
Ministério Fiel: Apoiando a Igreja de Deus.

Veja Também

Qual deve ser a duração de uma pregação?

Eu acho que muitos pastores, especialmente os mais jovens, estão regularmente lutando com essa questão. …