segunda-feira, 26 de agosto
Home / Artigos / Como preparar o coração para conduzir um funeral

Como preparar o coração para conduzir um funeral

Por haver tantos elementos para planejar e logísticas para preparar, não é incomum que o pastor tenha todas as suas palavras preparadas, o culto planejado, tudo no lugar, detalhes cerimoniais verificados e perceba que um elemento essencial foi negligenciado — o coração do pastor. Não se torne escravizado à tirania da preparação do funeral, apenas para permanecer e conduzir com um coração vazio, exausto e indiferente. Não subestime o esgotamento emocional e mental de confortar os enlutados ao preparar e realizar um funeral. Assim, há três áreas para o pastor dedicar tempo e preparar o seu coração, mente e alma.

1) Prepare-se para o inesperado.

Exatamente quando você acha que já viu tudo, o próximo funeral revela que não. Mesmo que tenha visto a ocorrência de brigas, prisões, prantos incontroláveis, familiares e pessoas que carregam o caixão desmaiando, caixões caindo e se abrindo, conflitos exaltados entre famílias e administradores do funeral, ou trajes de luto que fariam a maioria das pessoas sentirem vergonha, essas experiências não significam que o próximo funeral de qualquer modo se adequará a essas experiências. Por isso, prepare-se para ver qualquer coisa. Prepare-se para ter a resposta mais insensata para algo que você disser. Prepare-se para assistir as famílias em seu pior. Isso permitirá que você pense com clareza e sabedoria quando o inesperado ocorrer.

2) Prepare-se para ministrar a palavra de Deus.

Embora haja muito para lidar, administrar e facilitar, você não é o porteiro do funeral. Você é um ministro da palavra de Deus e um pregador do evangelho de Jesus Cristo. Prepare o seu coração, mente e alma, como sempre deve fazer, para que quando estiver diante das pessoas no início do culto fúnebre, ministre a palavra de Deus, confiando que Deus agirá poderosamente através da sua palavra.

3) Prepare-se para oferecer a esperança de Cristo.

Você não está no funeral para resolver conflitos familiares ou para ajudar a funerária a aprender como agir de modo mais tranquilo. Você está lá para apresentar claramente a cada pessoa a esperança que temos para além do pecado e da morte, por causa de Cristo. Você pode se preparar melhor pensando sobre quem estará no culto fúnebre. Considere que tipo de perguntas você poderia fazer aos familiares para avaliar a sua condição espiritual enquanto fala com eles. Elabore perguntas antes do momento das palavras que você preparou para compartilhar, de modo que as oportunidades para o evangelho possam se evidenciar nessas conversas.

É necessário ter a função de administrador e facilitador durante o processo. Isso lhe servirá como um companheiro útil para que você lide com todos os detalhes e exigências que sempre acompanham os funerais. Contudo, finalmente você é um pastor e evangelista que é convocado pelo Sumo Pastor a preparar e conduzir funerais de mortos como “um moribundo pregando aos moribundos”. Prepare e conduza funerais sabendo que os enlutados estão feridos, anelam por cuidado amoroso, e precisam olhar para Jesus como a sua única esperança.

Tradução: Camila Rebeca Teixeira

Revisão: André Aloísio Oliveira da Silva

Original: What are 3 ways for a pastor to prepare his heart before conducting a funeral?


Autor: Brian Croft

Brian Croft é o pastor efetivo da Auburndale Baptist Church em Louisville, Kentucky. Ele também é autor de "Visit the Sick: Ministering God’s Grace in Times of Illness”, (Prefácio de Mark Dever) e "Test, Train, Affirm, and Send Into Ministry: Recovering the Local Church’s Responsibility to the External Call", (Prefácio de R. Albert Mohler Jr). Brian escreve regularmente no blog Practical Shepherding.

Parceiro: Practical Shepherding

Practical Shepherding
O ministério Practical Shepherding visa equipar pastores e líderes de igrejas nas questões práticas do ministério.

Ministério: Ministério Fiel

Ministério Fiel
Ministério Fiel: Apoiando a Igreja de Deus.

Veja Também

Tornando-se o que vemos

No fundo de todo verdadeiro cristão há um desejo de ser mais semelhante a Cristo.