quarta-feira, 24 de julho
Home / Artigos / Cura após o aborto, substitua o silêncio por confissão

Cura após o aborto, substitua o silêncio por confissão

O trecho abaixo foi retirado do livro aconselhamento/736-box-2-serie-aconselhamento-n-10-ao-n-18.html">Cura Após o Aborto, de David Powlison, Série Aconselhamento, da Editora Fiel, lançamento de agosto de 2018.

Substitua o silêncio por confissão

O problema do silêncio é que aquilo que você mantém escondido fica cada vez mais obscuro, confuso e ameaçador com o passar do tempo. Talvez você já tenha notado isso acontecendo. Você precisa trazer seu aborto às claras através de uma confissão. Mas para quem você confessará? E quem tem o poder de perdoá-la? Essas perguntas só podem ser respondidas no contexto de seu relacionamento com Deus.

Porque Deus a criou, você deve responder a ele. Deus pode medir o peso dos muitos fatores que afetaram sua decisão. Ele viu a situação difícil em que você estava, e ele entende a pressão que você sofreu. Ainda assim, Deus vê além de todos os tons de cinza, todas as situações extenuantes, todas as racionalizações. Apesar de você ter encarado uma circunstância difícil, vendo pela perspectiva final de Deus, seu aborto foi uma coisa ou outra: ou uma boa decisão, da qual você pode se orgulhar, ou uma má decisão, para a qual você precisa da misericórdia Dele.

Por isso, ponha de lado todas as razões de seu aborto — sua idade, seus planos escolares, seus problemas financeiros, como sua gravidez aconteceu, a pressão de seu companheiro e/ou família, a vergonha que teve da gravidez — e pergunte a si mesma: O que Deus pensa sobre o meu aborto? A verdade é que Deus é contrário a que se tire a vida inocente do corpo de uma pessoa que foi feita para cuidar e nutrir essa vida. Assim como Deus criou você, ele criou a vida que você carregou (Sl 139.13-16). O poder de vida ou morte pertence a ele apenas. Não é direito nosso tirar uma vida inocente, não importando o quão inconveniente, ou não desejada ela seja.

Mas o Deus que nos vê claramente é cheio de misericórdia. Ele não deseja que você viva o resto da sua vida cheia de culpa, remorso e de um silêncio vergonhoso. Ele deseja que você encare a gravidade do que ocorreu para que se volte para ele e encontre misericórdia. Ele quer que esse momento seja um divisor de águas em sua vida — o momento em que você se rende e acaba por ser encontrada pelo amor e pela misericórdia dele. Tiago 4.6 explica esse momento desta maneira: “Deus se opõe aos orgulhosos” (aqueles que não admitem a necessidade que têm), “mas concede graça aos humildes” (aqueles que reconhecem sua necessidade). Na verdade, nesse mesmo verso, Tiago quer dizer que Deus “nos dá mais graça”. Não importa a gravidade do problema – a graça pode ir mais fundo, mais alto e mais longe.

Deus vai ao encontro da sua confissão com misericórdia

Deus a encontra exatamente onde você está — em seu silêncio, em sua humilhação, em sua culpa e em sua vergonha. Por toda a Bíblia, Deus faz a promessa de que aquele que vai até ele e pede por misericórdia não será envergonhado. Ele diz: “Não tenha medo; você não sofrerá vergonha. Não tema o constrangimento; você não será humilhada. Você esquecerá a vergonha de sua juventude” (Is 54.4).

Deus a convida a sair de seu esconderijo e a conversar honestamente com ele. Ele lhe dá razões poderosas para não ter medo e para esquecer a vergonha do que fez. Essas razões não estão em seus ombros. Você se esquecerá de sua vergonha por conta de quem Deus é e daquilo que ele fez por você. Deus é o seu Redentor (Is 54.5). Um redentor entra pessoalmente em uma situação dolorosa e obscura e a reverte. Ele transforma o mal em bem. Ele transforma a escuridão em luz. Onde há vergonha, ele traz misericórdia. E quando a misericórdia dele entra em sua vida, gratidão e coragem substituem a vergonha.

E como Deus faz isso? Ele veio na pessoa de Jesus para redimir este mundo — para redimir você. Ele entrou em nossa tristeza, pecado, doenças e dor e colocou tudo sobre si mesmo. Ele morreu em uma cruz pelos seus pecados, incluindo este que pesa sobre você agora. A promessa da misericórdia de Deus está sobre o corpo abatido de seu Filho. A morte de Jesus é a sua garantia de que, quando você vem até Deus e lhe confessa seus pecados, você receberá misericórdia. O evangelho de Jesus Cristo é para aqueles que têm consciência e admitem seus pecados (1Jo 1.8-9).

? A morte e ressurreição de Jesus lhe garantem que Deus aceitará sua confissão e irá lhe conceder perdão e proteção.

Porque Jesus pagou o preço dos seus pecados com a morte dele, você pode pedir a Deus que a liberte e a proteja de ficar presa em um redemoinho de vergonha e escuridão. Davi expressa esse sentimento da seguinte maneira: “A ti, Senhor, elevo a minha alma. Em ti confio, ó meu Deus. Não deixes que eu seja humilhado […] Nenhum dos que esperam em ti ficará decepcionado” (Sl 25.1-3).

A vergonha faz com que você se sinta desprotegida, vulnerável e temerosa de humilhação ao aparecer em público. Davi conhece esse sentimento, então ele implora a Deus, “Guarda a minha vida e livra-me! Não me deixes decepcionado, pois eu me refugio em ti” (Sl 25.20).


Autor: David Powlison

David Powlinson leciona e dá aconselhamento na Escola de Aconselhamento Bíblico (Aconselhamento Cristão & Fundamentos da Educação) do Seminário Teológico Westminster.

Ministério: Editora Fiel

Editora Fiel
A Editora Fiel tem como missão publicar livros comprometidos com a sã doutrina bíblica, visando a edificação da igreja de fala portuguesa ao redor do mundo. Atualmente, o catálogo da Fiel possui títulos de autores clássicos da literatura reformada, como João Calvino, Charles Spurgeon, Martyn Lloyd-Jones, bem como escritores contemporâneos, como John MacArthur, R.C. Sproul e John Piper.

Veja Também

Seja justa como Deus é justo

Seja justa como ele é justo, deleitando-se em sua lei, exaltando seu bom governo e diariamente fazendo justiça como filhas do Pai Celestial.