sábado, 17 de agosto
Home / Artigos / Passando dos limites

Passando dos limites

O trecho abaixo foi extraído com permissão do livro Refresh, de Shone e David Murray, lançamento da Editora Fiel.

O fato de que Deus é nosso criador é a primeira das verdades que encontramos na Escritura, e é por ser tão importante que aparece em primeiro lugar. Lembrar que Deus é o nosso criador e que nós somos suas criaturas tem muitas implicações práticas. Significa que somos finitas e dependentes. Significa que precisamos viver de uma forma que respeite o fato de Deus nos haver criado com limitações. Mas onde podemos descobrir sobre nossas limitações? A Palavra de Deus nos ensina a verdade geral de que somos criaturas limitadas. Mas é através do mundo de Deus e da observação pessoal que nos informamos acerca dos detalhes de nossas limitações.

Quando digo “o mundo de Deus”, refiro-me às informações sobre o funcionamento do ser humano que Deus, graciosamente, permitiu que os cientistas descobrissem por meio de suas pesquisas. Por exemplo, um estudo recente do Instituto Nacional do Envelhecimento descobriu que o exercício estimula o crescimento das células cerebrais e traz benefícios para a memória. Isso me incentivou a fazer exercício! Informações desse tipo são uma expressão do amor que o nosso criador tem por nós e devem ser analisadas com os óculos da Escritura, a fim de que tenhamos uma certeza que concorde com a Palavra de Deus. É algo que faremos muito na Academia Refresh. Para viver a vida no ritmo da graça, precisamos de cada verdade que a graça proporciona.

Quando digo “observação pessoal”, falo de prestar atenção aos nossos corpos e às nossas mentes, desenvolvendo a capacidade de perceber quando estamos passando dos limites. Essa também é a graciosa voz de Deus nos chamando para respeitar nossas limitações como criaturas. Às vezes, ele também fala através de familiares e amigos, que são as pessoas que mais nos conhecem e que podem mostrar-se preocupadas com nossos horários de trabalho, com nossa falta de sono ou com nossos péssimos hábitos alimentares.

Somos criaturas complexas e limitadas
Não somos apenas criaturas; somos criaturas complicadas. Além de termos corpos incrivelmente complexos, temos almas notavelmente intrincadas. E, quando você junta as duas coisas em uma só pessoa, as complicações se multiplicam, pois uma parte interage com a outra. Essa foi uma das coisas mais importantes que esqueci. De muitas maneiras, eu estava me sobrecarregando fisicamente. Deus sempre me abençoou com muita força de vontade e, quando eu decidia realizar alguma coisa, persistia até conseguir.

Contudo, algumas vezes, eu era capaz de enxergar que minha determinação estava passando dos limitese que meu corpo estava sendo prejudicado, mas não era capaz de perceber que minha mente e minha alma também estavam sendo prejudicadas. Aparentemente, eu achava que podia forçar minha parte física até a exaustão, mas que as partes mentais, emocionais e espirituais não seriam afetadas.

Eu não estava me enxergando da maneira como Deus me criou: uma criatura limitada e uma criatura complexa. Eu não estava somente subestimando minhas limitações; estava subestimando também o impacto que um corpo exausto podia causar em minha mente e em minha alma. E não estou falando de momentos extraordinários da vida em que precisamos fazer um pouco mais de força, como, por exemplo, quando temos de fazer uma prova, cumprir um prazo ou cuidar de um bebê. Estou falando do momento em que isso se torna a norma, o padrão, por períodos longos. Passagens como Filipenses 4:13 — “Tudo posso naquele que me fortalece” — não ignoram a necessidade básica que temos de comer, beber, descansar e dormir.

Somos criaturas caídas
Você já percebeu que, quanto mais seus aparelhos de cozinha são complicados, mais difícil é seu conserto quando quebram? Há alguns meses, minha máquina de lavar, que parece uma aeronave, quebrou e precisou ser substituída. Eu não tinha esperança de conseguir consertá-la (acredite, nós tentamos). Seria necessária a presença de um técnico com um computador para fazer o diagnóstico e que dispusesse de ferramentas especializadas. Além disso, as peças eram muito caras. A máquina, por ser complexa, teve problemas adicionais quando quebrou.

É a mesma coisa em relação à nossa humanidade. Embora Deus nos tenha criado com uma complexidade perfeita, a entrada do pecado no mundo significa que agora somos criaturas complexas caídas, e que isso gera problemas adicionais. O pecado prejudicou cada parte de nosso ser — nossa física, nossa química, nossa biologia, nossa estrutura, nosso sistema urinário, nossas mentes, nossas emoções, nossas almas e, especialmente, a maneira como cada parte interage com as outras.

Acho que eu sabia de tudo isso na minha cabeça, mas não estava aplicando em minha vida. Essas verdades não estavam fazendo diferença prática em meu estilo de vida. Quando passei a me dar conta das implicações práticas de ser uma criatura limitada, complexa e caída, comecei a ver Deus de uma maneira diferente, comecei a me ver de uma maneira diferente e comecei a ver a vida de uma maneira diferente. Em vez de simplesmente me esforçar para ir cada vez mais longe e para ser cada vez mais rápida, conscientizei-me, cada vez mais, da importância de viver na dependência do meu criador e de respeitar minhas limitações como criatura. Também comecei a compreender e responder a essa interação complexa entre corpo, mente e alma. Aprender cada vez mais sobre Deus como criador e aplicar essa verdade em minha vida foram atitudes muito importantes para aliviar meu estresse. Deus como o criador não é apenas uma doutrina para debate apologético; é de um importante valor prático.


Autor: Shona Murray

Ministério: Editora Fiel

Editora Fiel
A Editora Fiel tem como missão publicar livros comprometidos com a sã doutrina bíblica, visando a edificação da igreja de fala portuguesa ao redor do mundo. Atualmente, o catálogo da Fiel possui títulos de autores clássicos da literatura reformada, como João Calvino, Charles Spurgeon, Martyn Lloyd-Jones, bem como escritores contemporâneos, como John MacArthur, R.C. Sproul e John Piper.

Veja Também

Amadurecendo para servir

É comum que o seu desejo de servir ao Senhor seja grande, mas que seu caráter cristão seja lamentavelmente falho.