domingo, 17 de novembro
Home / Artigos / Por que você sai para correr? | Teologia do Corpo

Por que você sai para correr? | Teologia do Corpo

O trecho abaixo foi extraído do livro Refresh, da Editora Fiel.

Embora, com frequência, o mundo secular enfatize o corpo a ponto de desconsiderar a alma, a Igreja às vezes parece defender uma posição que representa o extremo oposto: enfatizar a alma a ponto de excluir o corpo. Em alguns grupos, qualquer tentativa de cuidar do corpo é vista como falta de espiritualidade. Certa vez, uma moça cristã me disse: “Por que você sai para correr? Por que você não faz algo como costurar?”. Ela considerava correr uma atividade meio mundana, enquanto costurar parecia algo mais espiritual. Se ela visse quanto sou ruim em costura, talvez mudasse de ideia.

Contudo, a Bíblia apresenta um caminho intermediário entre os dois extremos, levando-nos a cuidar tanto do corpo como da alma. O apóstolo Paulo apresenta sua teologia do corpo em 1 Coríntios 6.9-20. Ele começa admitindo que o corpo humano foi prejudicado pelo pecado (vv. 9-10). Todavia, isso não significa que simplesmente devemos deixar o corpo de lado. Não, Paulo diz que a redenção de Cristo não é somente para a alma, mas também para o corpo. É uma salvação que inclui o corpo completo e a alma completa. “O corpo é… para o Senhor”, insiste Paulo, “e o Senhor, para o corpo” (v. 13). Ele criou o corpo, salvou o corpo e está eternamente interessado no corpo.

Mais do que isso, seu corpo é um membro de Cristo (vv. 15-17). Não apenas as almas são membros de Cristo; o corpo também é. Isso deveria impactar a maneira como cuidamos de nosso corpo. Pense nisso da próxima vez que você olhar no espelho ou subir na balança.

E até mais do que isso: seu corpo é um templo do Espírito Santo (v. 19). É a casa do Espírito Santo. É o lugar no qual ele habita. Pense em quanto você cuida de sua própria casa. Você não deveria cuidar muito mais da casa do Espírito Santo?

E há uma motivação ainda maior. Seu corpo custou o sangue de Cristo (v. 20). Ele pagou com o maior resgate que já existiu. Tente pensar na coisa mais cara que você já comprou. Um carro? Uma casa? Em que medida você mantém e protege sua casa? Agora, pense em quanto Cristo pagou por seu corpo e considere a maneira como você administra essa propriedade que custou o sangue dele. “Não sois de vós mesmos”, diz Paulo. “Porque fostes comprados por preço” (vv. 19-20). Temos um novo dono que pagou um alto preço por sua propriedade. Ele declara que nosso corpo lhe pertence e nos chama para administrar nosso corpo para a glória dele.

Por essa razão, ele conclui dizendo: “Glorificai a Deus no vosso corpo” (v. 20). A lógica de Paulo é simples. Ele comprou você — seu corpo e sua alma. Portanto, sirva a ele com seu corpo e com sua alma. Teremos de prestar contas a Deus pela maneira como utilizamos, abusamos ou subutilizamos a propriedade dele. Isso deve fazer diferença em nossa maneira de enxergar e também de administrar nosso corpo.

Se essa é uma teologia do corpo, quais são as implicações práticas disso? De que maneira glorificamos a Deus com nossos corpos?


Autor: Shona Murray

Ministério: Editora Fiel

Editora Fiel
A Editora Fiel tem como missão publicar livros comprometidos com a sã doutrina bíblica, visando a edificação da igreja de fala portuguesa ao redor do mundo. Atualmente, o catálogo da Fiel possui títulos de autores clássicos da literatura reformada, como João Calvino, Charles Spurgeon, Martyn Lloyd-Jones, bem como escritores contemporâneos, como John MacArthur, R.C. Sproul e John Piper.

Veja Também

O que é religião?

A relação entre religião e educação não é uma relação facultativa, mas uma relação necessária.