segunda-feira, 8 de agosto

Precisamos lembrar de quem somos e a quem pertencemos

Ouvir Artigo

A cultura nos diz que o remédio para nosso esgotamento é ter mais tempo para si. O que precisamos é de mais descanso. Mais momentos de silêncio sozinhas. Um veículo de luxo mais agradável que possa bloquear o estresse do mundo. Possivelmente uma babá e uma faxineira para nos ajudar a equilibrar tudo. Mais vinho. Mais café. Terapia, medicina. Mais reflexão. Encontre sua tribo, seu povo, sua máfia das mães para lembrá-la de que você é suficiente e de que consegue fazer isso.

Mas eu acredito que precisamos voltar ao início. Precisamos nos lembrar de quem nós somos e a quem pertencemos. Como fomos criadas e por quem? Para que propósito fomos criadas? Com que tipo de energia estamos destinadas a funcionar?

Nosso remédio está na recuperação de nossa cosmovisão. Está em rejeitar o movimento de autoajuda que nos criou e em reorientar-nos de volta para o Deus que nos fez. A cura deve acontecer em nossas almas. Nossa saúde virá quando nos enraizarmos no que é verdadeiro.

Encaremos isto: fomos enganadas pela cultura que nos criou. As ideias em que mergulhamos estão causando estragos. Ao confrontá-las com as verdades bíblicas do evangelho, vemos como elas soam ocas.

Como as criaturas sedutoras, mas destrutivas da mitologia grega, o eu é uma sereia. De fato, somos atraídas por nós mesmas. Mas o enraizamento em nós mesmas nos levou à nossa ruína. A reflexão do ‘eu consigo fazer isso’ e a construção de nós mesmas a partir do interior nos esgotou. Vemos agora que não há descanso para aquela que depende de si mesma para tudo.

Nossa atual condição de crise não é a que o doador da vida pretendia. Ele nos criou de uma maneira específica, para um propósito específico. E ele pretendia que fôssemos energizadas e cheias de alegria em um relacionamento com ele.

Admitamos que não somos suficientes, e nos voltemos para o Deus que é.

Artigo adaptado do livro Que Eu Diminua, de Jen Oshman. Publicado pela Editora Fiel.


Autor: Jen Oshman

Jen Oshman participa do ministério de mulheres como missionária e esposa de pastor há mais de duas décadas e em três continentes diferentes. Ela é mãe de quatro meninas, autora e apresentadora de All Things, um podcast sobre tendências e eventos culturais. Jen e sua família moram no Colorado, onde seu marido plantou a Redemption Parker, uma igreja do ministério Acts29.

Ministério: Editora Fiel

Editora Fiel
A Editora Fiel tem como missão publicar livros comprometidos com a sã doutrina bíblica, visando a edificação da igreja de fala portuguesa ao redor do mundo. Atualmente, o catálogo da Fiel possui títulos de autores clássicos da literatura reformada, como João Calvino, Charles Spurgeon, Martyn Lloyd-Jones, bem como escritores contemporâneos, como John MacArthur, R.C. Sproul e John Piper.

Veja Também

As igrejas realmente têm autoridade?

Às vezes, as igrejas fazem julgamentos errados, assim como embaixadores e embaixadas ou juízes e tribunais. Ainda assim, esse é o trabalho que Jesus dá às igrejas.