sábado, 28 de maio

Faça discípulos

Ouvir Artigo

Durante oito anos de ministério pastoral, poucas coisas me surpreenderam mais do que testemunhar a conversão. É maravilhoso ver alguém que estava espiritualmente morto voltar à vida, se afastando de seu pecado e se voltando para Cristo com fé! Mas outra maravilha que adoro ver é a transformação gradual de um crente, à medida que ele se torna mais parecido com Jesus pelo poder do Espírito Santo (2Co 3.18).

Esse processo de santificação continua até que vejamos Jesus face a face, e muitas vezes é estimulado por relacionamentos de discipulado. Discipulado é uma daquelas palavras que são muito usadas. Mas discipulado tão somente significa deliberadamente ajudar uns aos outros a crescer em conformidade com Jesus. O discipulado é deliberado porque procura ajudar indivíduos específicos a crescer em piedade de maneiras específicas. O discipulado é mútuo porque não é uma via de mão única, com um sábio em uma ponta e um aluno na outra. Todo cristão precisa de formação espiritual, e todo cristão é capacitado pelo Espírito para edificar aos outros (Jd 20; Ef 4.12; 1Pe 2.5). Então, discipular uns aos outros deveria ser algo normal.

Agora vamos gastar um pouco de tempo pensando sobre por que, quem e como discipular.

Por quê?

Mencionarei três razões, mas me aprofundarei apenas em uma.

Razão nº 1: Devemos discipular uns aos outros simplesmente porque Jesus nos ordena a fazer isso. Jesus comissionou a igreja a fazer discípulos em Mateus 28. Essa resposta por si só deveria ser suficiente.

Razão nº 2: Devemos discipular uns aos outros porque nos preocupamos com a santidade pessoal. Os cristãos são novas criaturas com velhos hábitos. Precisamos ajudar uns aos outros a quebrar os velhos hábitos do velho homem, e adquirir novos hábitos que correspondam àcomo filhos de Deus. Discipular uns aos outros é um meio eficaz para tal propósito.

Razão nº 3: Devemos discipular uns aos outros porque nos preocupamos com nosso testemunho ao mundo. Em outras palavras, nosso discipulado está realmente conectado ao avanço global do evangelho!

Toda autoridade no céu e na terra é dada ao Rei Jesus para que todas as nações possam ouvir as boas novas do evangelho e se submeter ao Rei (Mt 28.18-20). É isto que queremos: que as nações se submetam ao Rei Jesus através da fé.

Qual é o plano de Jesus para que isso aconteça? Não é “Ide, portanto, e fazei convertidos”; este é um evento único. É “Ide, portanto, e fazei discípulos”; este é um processo para a vida toda! Esse é o tempo que leva para ensinar convertidos a observar tudo o que o Senhor ordenou ao seu povo. A propagação do evangelho em todo o mundo acontecerá à medida que obedecermos a esse chamado de “fazer discípulos”.

Quem?

Teoricamente, qualquer crente professo é um candidato ao discipulado. Não podemos discipular incrédulos, uma vez que eles não têm o Espírito Santo (1Co 2.14). Devemos evangelizar tais pessoas.

Mas observe que eu disse “teoricamente”. Embora qualquer crente professo seja um candidato ao discipulado, todos somos criaturas limitadas. Só podemos estar em um lugar de cada vez e não podemos esperar que discipulemos o mundo inteiro — ou mesmo toda a sua igreja.

Falando da igreja, é aí que o discipulado se torna particular. Você e seus irmãos de igreja concordaram com a mesma doutrina, estão se submetendo ao mesmo processo de formação espiritual (pregação e pastoreio), e se comprometeram a amar e andar com as mesmas pessoas.

Em nossas igrejas, lembramos uns aos outros que o diretório de membresia é o segundo livro mais importante depois da Bíblia. A Bíblia nos diz como discipular uns aos outros, mas o diretório de membresia nos lembra quem devemos discipular deliberadamente. Os membros da própria igreja local devem ser os principais receptores de seu esforço de discipulado e vice-versa.

Quando cada membro procura crescer em graça junto a outros, vivemos a realidade do que Paulo diz em Efésios 4:

“Cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo, de quem todo o corpo, bem-ajustado e consolidado pelo auxílio de toda junta, segundo a justa cooperação de cada parte, efetua o seu próprio aumento para a edificação de si mesmo em amor.” (Ef 4.15,16)

Eu não quero dizer que você não pode discipular pessoas que vão para outra igreja. Simplesmente quero dizer que os melhores e mais naturais relacionamentos de discipulado acontecerão dentro da igreja local.

Como?

Antes que você diga que discipular é uma tarefa muito difícil, quero fornecer cinco conselhos rápidos e práticos.

  1. Ore. Ore para que Deus lhe dê um coração que seja receptivo e ousado. Ore para que Deus o conduza à pessoa – ou pessoas – com quem você deve crescer intencionalmente nesse período de discipulado.
  2. Seja intencional (parte 1). Não sofra de paralisia por análise. Escolha uma ou duas pessoas do mesmo sexo e pergunte se vocês podem se encontrar regularmente para ler a Palavra de Deus, orar juntos e prestar contas do que estão lendo.
  3. Seja intencional (parte 2). Às vezes teremos relacionamentos de discipulado com pessoas em estágios da vida semelhantes ou com experiências de vida similares às nossas. Tudo bem. Mas não procure apenas pessoas que são como você. O evangelho une pessoas radicalmente diferentes em um só corpo, e relacionamentos de discipulado devem refletir o poder do evangelho de unir pessoas muito diferentes. Homens mais jovens e mais velhos devem caminhar juntos. Mulheres mais velhas e mais jovens devem estar juntas. Pessoas negras, brancas e de todas as etnias devem se unir. Procure participar da vida uns dos outros, especialmente daqueles que não são como você.
  4. Conheça a história do outro. Ao iniciar um relacionamento de discipulado, certifique-se de conhecer as pessoas ao redor da mesa. Conheça suas histórias. Seja um bom ouvinte. E seja tão honesto consigo mesmo quanto a sabedoria permitir. Discipular exige falar a verdade em amor, mas fazer isso requer que duas pessoas se conheçam o suficiente para serem precisas em suas colocações, e se amem o bastante para serem genuínas umas com as outras.
  5. Viva a vida em comunidade. Discipular não se resume aos livros que lemos ou as vezes em que oramos. Discipular também diz respeito às batalhas que travamos. Portanto, sirvam ao Senhor juntos. Se você é solteiro, envolva os outros em sua vida. Se você é casado, envolva outros casais ou solteiros em sua vida. Passem tempo juntos. Ao fazer isso, você encontrará muitas oportunidades de experimentar os altos e baixos da vida.

Aqui está a ideia principal: viver a vida juntos e manter a Palavra de Deus no centro. Não relegue o discipulado a uma chamada de vídeo de uma hora. Em vez disso, sigam Jesus em tempo real como uma família. Pode haver épocas em que se reunir uma vez por semana por uma hora funcione melhor. Pode haver épocas em que a única margem de tempo que você tem é incluir alguém nas rotinas de sua vida (estou pensando em mães jovens). O objetivo não é desenvolver um sistema hermético. O objetivo é amar uns aos outros, apontando a Palavra de Deus e o poder do evangelho. Em resumo, o objetivo é ser semelhante a Cristo.

Conclusão

Você não precisa ser um guru para fazer discípulos; só precisa estar disponível. Você não precisa ser um teólogo, só precisa ser um meio de graça para outros discípulos.

Fazer discípulos é para os seguidores de Jesus comuns, imperfeitos, que foram comprados com sangue. Então, cristão, vamos nos comprometer a discipular uns aos outros!

Publicado originalmente em 9 Marks.

Tradução: João Costa. Revisão: Renan A. Monteiro.


Autor: Tony Shepherd

Tony Shepherd é pastor auxiliar da Hampton Roads Fellowship em Newport News, Virgínia, e ex-produtor de rappers cristãos como Lecrae, Shai Linne, Trip Lee e outros. Tony é marido de Jolene e pai de três meninos maravilhosos e uma linda menina.

Parceiro: 9Marks

9Marks
O ministério 9Marks tem como objetivo equipar a igreja e seus líderes com conteúdo bíblico que apoie seu ministério.

Ministério: Ministério Fiel

Ministério Fiel
Ministério Fiel: Apoiando a Igreja de Deus.

Veja Também

Coloque os interesses dos outros acima dos seus

Assim como somos chamados a deixar o velho homem, também devemos nos afastar de nós mesmos a fim de servirmos uns aos outros na igreja.