sábado, 28 de maio
hospitalidade

Seja hospitaleiro

Ouvir Artigo

Quando vi o título de um determinado livro, não pude deixar de rir: Sorry, I’m Late, I Didn’t Want to Come: An Introvert’s Year of Living Dangerously [Desculpa pelo atraso, eu não queria vir: um introvertido vivendo perigosamente por um ano]. Eu me identifiquei. O contato com outras pessoas não é algo fácil para mim. Mas sei que seguir a Cristo significa fazer parte de uma igreja local, e ser parte de uma igreja local significa, às vezes, fazer coisas que nos deixam desconfortáveis.

A hospitalidade não é algo fácil, mas Deus a exige. Então, permita-me encorajá-lo a “viver perigosamente” demonstrando hospitalidade.

A Bíblia fala de hospitalidade

O Novo Testamento dá grande ênfase à hospitalidade. Já percebeu? Paulo inclui a hospitalidade na lista dos fundamentos da vida cristã (Rm 12.13; também 1Pe 4.9). Ele diz que os presbíteros ou pastores devem ser caracterizados por isso (1Tm 3:2), provavelmente para que possam dar exemplo para a congregação. Ele diz que essa também deve ser uma característica das mulheres mais velhas na igreja (1Tm 5.10), possivelmente pela mesma razão.

A hospitalidade não é responsabilidade dos extrovertidos, mas de cada membro da igreja.

A hospitalidade bíblica significa muito mais que compartilhar um lanche após o culto. Mostrar hospitalidade exige uma casa aberta, uma agenda aberta, um ouvido aberto e até uma carteira aberta. Aqui está minha definição de hospitalidade: uma disposição altruísta e orientada por Cristo para sacrificar nossos bens pelo bem dos outros (Rm 12.13).

Os cristãos devem mostrar hospitalidade a conhecidos e a não conhecidos. Hebreus 13.2 deixa isso claro: “Não negligencieis a hospitalidade, pois alguns, praticando-a, sem o saber acolheram anjos”. Esta passagem exige claramente que mostremos o amor sacrificial de Cristo para com aqueles fora do nosso círculo normal.

Nas Escrituras, um estranho não é necessariamente alguém que encontramos pela primeira vez; também pode se referir a alguém cuja cultura é diferente da nossa. No Antigo Testamento, um estranho era alguém que estava fora da nação da aliança de Deus, Israel. Paulo tem isso em mente quando escreve que os gentios convertidos em Éfeso foram “separados da comunidade de Israel e estranhos às alianças da promessa” (Ef 2.12). Pelo poder do evangelho, eles agora são membros da família de Deus.

Quando se trata de hospitalidade, devemos “buscar com zelo” as necessidades práticas dos outros. Devemos mostrar o amor de Cristo àqueles que são demograficamente diferentes; aos cristãos de outras igrejas que estão de passagem (ver 3 João); aos visitantes que aparecem em nossa igreja; para novos membros que parecem esquisitos; e aos vizinhos que parecem estranhos!

Portanto, os jovens devem acolher os idosos, e vice-versa. Onde eu pastoreio (África do Sul), significa que os membros brancos da igreja devem buscar conexões significativas com os membros negros, e vice-versa. Isso significa que os da cultura africana devem abrir suas portas para os da cultura inglesa.

Como nosso Pai

Irmãos e irmãs, quando demonstramos amor prático pelos estranhos e santos entre nós, refletimos nosso Pai Celestial. Jesus disse: “Porque, se amardes os que vos amam, que recompensa tendes? (…) E, se saudardes somente os vossos irmãos, que fazeis de mais?” (Mt 5.46-47)

Nosso Pai celestial deu seu Filho para suprir nossa maior necessidade: o perdão de nossos pecados. Ele nos reconciliou consigo mesmo enquanto éramos tão estranhos, que também éramos inimigos (Rm 5.8). Ao refletirmos sobre a graça de Deus para nós em Cristo, nosso coração deve crescer com um compromisso de hospitalidade. Devemos estender a mão aos outros, sem distinção, com amor sacrificial, que atende às necessidades, que não deixa espaço para murmurações (1 Pe 4.9).

Portanto, cristãos — quer introvertidos ou extrovertidos — são ordenados a mostrar hospitalidade, mesmo que chegue ao ponto de parecer um sacrifício, assim como nosso Senhor o fez.

Publicado originalmente em 9 Marks.

Tradução: João Costa. Revisão: Renan A. Monteiro.


Autor: Doug Van Meter

Doug Van Meter é pastor da Brackenhurst Baptist Church na África do Sul.

Parceiro: 9Marks

9Marks
O ministério 9Marks tem como objetivo equipar a igreja e seus líderes com conteúdo bíblico que apoie seu ministério.

Ministério: Ministério Fiel

Ministério Fiel
Ministério Fiel: Apoiando a Igreja de Deus.

Veja Também

Coloque os interesses dos outros acima dos seus

Assim como somos chamados a deixar o velho homem, também devemos nos afastar de nós mesmos a fim de servirmos uns aos outros na igreja.