quinta-feira, 28 de outubro
Home / Vídeos / Como O Orgulho Subverte A Alegria Da Confissão

Como O Orgulho Subverte A Alegria Da Confissão

Transcrição Do Vídeo

Creio que todos concordamos que é difícil pedir desculpas, é difícil confessar. Para mim, é difícil ir a meu marido, meus amigos, minha igreja ou meus filhos e dizer: “Eu errei, sinto muito”.

Mas sabemos como nos sentimos bem ao fazer isso. A confissão conduz à alegria.

Confessar abre as portas para a liberdade. Quando confessamos e nos arrependemos do que fizemos de errado, o peso desse fardo é retirado de nós, e isso nos permite seguir em frente e dizer “sinto muito” com liberdade e coração leve. Isso vale para todo relacionamento, inclusive no que temos com Deus.

Orgulho É Indisposição

Logo, enquanto vivemos como pessoas orgulhosas que não confessam nem se arrependem, acumulamos sobre nós mesmos um peso cada vez maior. A cada dia, a cada hora e a cada pecado, somos esmagados pelo peso que somos obrigados a carregar.

Portanto, o orgulho é a indisposição para pedir desculpas, é a indisposição para admitir que não é perfeito. É não admitir: “Preciso de ajuda. Estrago tudo. Estou cansado. Errei. Sou egocêntrico. Quero ser autossuficiente. Jesus é suficiente, mas prefiro confiar em mim”.

O orgulho é inimigo da esperança, pois a esperança é depositada em Cristo, nosso criador. A esperança se deposita no Deus que nos criou e sabe o que temos dentro de nós, e ele está disposto a nos sustentar. Deixou o céu e veio viver a vida que não podíamos viver, veio morrer a morte que não podíamos morrer e pagar o preço que não podíamos pagar.

Deixe O Fardo Do Orgulho

À medida que me liberto do orgulho, devo admitir que não posso ir além e me esforçar mais, não consigo ser perfeita.

Na verdade, eu erro o tempo todo e preciso me desculpar com as pessoas e com o Deus que me criou. Assim, eu me liberto da autossuficiência, de querer dar conta de tudo, mesmo sendo uma pessoa finita.

O orgulho é inimigo da esperança e nos aprisiona. Quanto mais orgulhosa sou, quanto mais confio em mim mesma e me acho autossuficiente, mais distante estarei de um relacionamento com o Senhor que está disposto a levar meu fardo, que deseja que eu lance minhas ansiedades sobre ele e está ali para mim.

Então, confessar e pedir desculpas é o primeiro passo; perceber que somos pecadores e precisamos do perdão e do amor incondicional de Deus que ele oferece livremente. É daí que vêm a liberdade, a esperança e a verdadeira vida.


Autor: Jen Oshman

Jen Oshman participa do ministério de mulheres como missionária e esposa de pastor há mais de duas décadas e em três continentes diferentes. Ela é mãe de quatro meninas, autora e apresentadora de All Things, um podcast sobre tendências e eventos culturais. Jen e sua família moram no Colorado, onde seu marido plantou a Redemption Parker, uma igreja do ministério Acts29.

Ministério: Editora Fiel

Editora Fiel
A Editora Fiel tem como missão publicar livros comprometidos com a sã doutrina bíblica, visando a edificação da igreja de fala portuguesa ao redor do mundo. Atualmente, o catálogo da Fiel possui títulos de autores clássicos da literatura reformada, como João Calvino, Charles Spurgeon, Martyn Lloyd-Jones, bem como escritores contemporâneos, como John MacArthur, R.C. Sproul e John Piper.

Veja Também

Como é ser livre do pecado nesta vida

O pecado possui uma forma de se reinventar e entrar novamente na sala, justamente quando nós achamos que havíamos fechado a porta, e isso é comum à existência humana.