quinta-feira, 7 de julho

O maior erro em um namoro

Transcrição do vídeo

Eu cometi muitos erros ao namorar: namorar cedo demais, pular de um relacionamento para outro, não escutar o conselho de pessoas em minha vida, não ser honesto comigo mesmo ou com outros, deixar alguns namoros durar demais, não estabelecer limites ou não manter os limites estabelecidos. Mas, ao relembrar alguns de meus namoros, um erro recorrente explica todos os outros.

Meus namoros eram uma busca por intimidade, quando deveriam ter sido uma busca por clareza. Eu fiz da busca pelo casamento uma verdadeira desculpa para a intimidade de meus namoros. Mas, sendo honesto comigo mesmo, eu procurava mais intimidade e não clareza. Em meu melhor momento, acho que busquei clareza através da intimidade. Mas por diversas vezes eu apenas quis intimidade a todo custo.

Penso que quase todos nós namoramos porque queremos muito a intimidade, compartilhar a vida, experimentar o amor com alguém; queremos alguém para dividir momentos, o tipo de momentos que vemos nas redes sociais. O coração humano é programado para a intimidade. Mas ele também é programado para corromper a intimidade. A intimidade nos deixa vulneráveis. Por muito desejá-la, nos fazemos vulneráveis. Mas nosso pecado nos torna perigosos, então somos capazes de machucar uns aos outros nessas relações.

A razão pela qual essa intimidade romântica que Deus concede é a recompensa do casamento e não do namoro é porque há apenas um lugar seguro para o tipo de intimidade por que procuramos. Esse lugar é o casamento. Queremos experimentá-la na segurança das promessas feitas em união, de que nunca abandonaremos. Claro, o casamento ainda é perigoso. Todo casamento envolve dois pecadores, então ainda somos capazes de machucar o outro. Mas pessoas fiéis ao casamento são pessoas que não abandonam, assim como Deus não abandona seu povo.

Então o casamento é essa aliança, o lugar seguro para desfrutar da intimidade que tanto desejamos. E o namoro é o meio para o casamento. A intimidade que desejamos no namoro é feita para ser desfrutada e experimentada no casamento. A maior recompensa no casamento cristão é essa intimidade romântica, intimidade cristocêntrica que Deus concede. E a maior recompensa no namoro cristão é a clareza, clareza cristocêntrica rumo ao casamento, para encontrar a pessoa com quem Deus quer que nos casemos.

Vídeo do livro Ainda não casei, de Marshall Segal, publicado pela Editora Fiel.


Autor: Marshall Segal

Marshall Segal é assistente executivo de John Piper, graduado no Bethlehem College & Seminary em Minneapolis.

Parceiro: Desiring God

Desiring God
Ministério de ensino de John Piper que, há mais de 30 anos, supre ao corpo de Cristo com livros, sermões, artigos.

Ministério: Editora Fiel

Editora Fiel
A Editora Fiel tem como missão publicar livros comprometidos com a sã doutrina bíblica, visando a edificação da igreja de fala portuguesa ao redor do mundo. Atualmente, o catálogo da Fiel possui títulos de autores clássicos da literatura reformada, como João Calvino, Charles Spurgeon, Martyn Lloyd-Jones, bem como escritores contemporâneos, como John MacArthur, R.C. Sproul e John Piper.

Veja Também

A origem do movimento pró-autoestima

Não temos o poder que dizemos ter. No fim do dia, essa cosmovisão torna-se cansativa, pois ela nos torna escravos de nós mesmos, em vez de nos libertar.